quarta-feira, novembro 17

Gêneros Textuais

De acordo com Cereja e Magalhães, a palavra “gênero” sempre foi bastante utilizada pela retórica e pela literatura com um sentido especificamente literário, identificando os gêneros clássicos - o lírico, o épico, o dramático - e os gêneros modernos da literatura, como o romance, a novela, o conto, o drama, etc. Foi o russo Mikhail Bakhtin o primeiro a empregar a palavra com um sentido mais amplo, referindo-se também aos tipos textuais que empregamos nas situações cotidianas de comunicação. Todos os textos que produzimos, orais ou escritos, apresentam um conjunto de características relativamente estáveis, tenhamos ou não consciência delas. Essas características configuram diferentes tipos ou gêneros textuais que podem ser identificados por três aspectos básicos coexistentes: o assunto, a estrutura e o estilo. A escolha do gênero não é completamente espontânea, pois leva em conta um conjunto de parâmetros essenciais, como quem está falando, para quem se está falando, qual é a sua finalidade e qual é o assunto do texto. Por exemplo, ao contarmos uma história, fazemos uso de um texto narrativo; para instruirmos alguém sobre como fazer alguma coisa (por exemplo, fazer um bolo, montar uma mesa, jogar certo tipo de jogo, etc.), fazemos uso de um texto instrucional; para convencer alguém de nossas idéias, fazemos uso de textos argumentativos; e assim por diante.

IN: CEREJA, Willian. MAGALHÃES, Thereza. Texto e Interação. São Paulo, Atual Editora, 2000.

1 Comments:

Blogger Su said...

está bem bonito :) Te enviei um email sobre aquela tua dúvida em relação a ordenação dos posts.

abraço,
Suzana

16 de novembro de 2004 10:29  

Postar um comentário

<< Home